Nenhum produto no carrinho.

Chegando em casa: os primeiros cuidados com o bebê

Chegando em casa: os primeiros cuidados com o bebê

Logo após o nascimento do bebê a maior vontade dos pais de primeira viagem é voltar para casa e para a rotina da família. Mas os primeiros dias em casa são uma mistura de aprendizado, dúvidas e transformações. Abaixo listamos algumas informações importantes, mas que devem ser flexíveis e adaptadas a cada família e de acordo com o pediatra escolhido para o bebê.

Chegando em casa: os primeiros cuidados com o bebê

berço retratil

 

Quando voltei para casa com meu primeiro filho tudo era tão diferente que acabei me assustando um pouco com tanta novidade.

Com o segundo filho eu já sabia o que iria passar, mas nem por isso foi mais fácil a adaptação, porque aí já eram duas crianças sob a minha responsabilidade.

As primeiras semanas em casa com seu novo bebê podem ser um momento desafiador. É fácil sentir-se sobrecarregada quando está exausta e cuidando do seu bebê 24 horas por dia, 7 dias por semana. Aqui vamos listar 10 dicas para tornar sua transição para a maternidade um pouco mais fácil:

#1. Faça um estoque em sua dispensa e geladeira

Uma geladeira e um freezer repletos de alimentos saudáveis ​​podem ser uma bênção naqueles primeiros dias com um recém-nascido. No mês anterior ao nascimento, tente dobrar tudo o que você cozinha e coloque as porções extras no freezer. Se você não tiver tempo ou energia para cozinhar, armazene alimentos congelados saudáveis. 

Nos mercados procure lanches que podem ser ingeridos facilmente com uma mão - para que você possa comer e amamentar ao mesmo tempo! Frutas, legumes, iogurte líquido e bolachas são boas apostas.

#2. Lista de apoio

Antes do bebê nascer procure e faça um lista de locais para ajuda com a amamentação, salas de emergência, farmácias 24 horas e programas locais de apoio a novas mães, assim se surgir uma crise, em vez de se atrapalhar com a procura pela internet, você terá uma lista pronta de contatos e endereços.

#3. Monte uma equipe de apoio

A organização do suporte é provavelmente a coisa mais importante que você pode fazer.

O pior erro da mulher moderna é achar que sempre foi uma mulher independente, que trabalha e administra a própria vida, portanto dará conta de tudo sozinha.

Falo por experiência própria que a ajuda nesses primeiros dias é crucial para sua saúde física e mental.

#4. Peça ajuda se você está tendo dificuldade em amamentar

Nas duas primeiras semanas com um recém-nascido, o ritmo e a rotina de amamentação se estabelecem, mas para algumas mães de primeira viagem pode ser um desafio e tanto. 

Se você está tendo problemas para amamentar, não espere para pedir ajuda. 

#5. Durma o máximo possível

Eu acho que o maior obstáculo para os novos pais é a privação do sono.

Os bebês têm um pico de fome entre 22hs e 3hs que é exatamente o momento em que estamos mais acostumados a dormir profundamente.

É importante que os pais se preparem física, mental e emocionalmente para essa mudança. 

Tente fazer com que essas mamadas noturnas sejam um momento especial para você e seu bebê, um momento de tranquilidade quando vocês podem realmente focar um no outro.

Um conselho bacana é imaginar que você está trabalhando no turno da noite. Assim fica mais fácil reconhecer a importância de descansar durante o dia.

Durma quando o bebê dormir e esqueça afazeres da casa e visitas. Você precisa se adaptar a nova rotina e sem descanso isso não é possível.

#6. Sua recuperação é uma prioridade

Você passou por uma experiencia física e emocional muito exaustiva durante o parto e ainda precisa amamentar, cuidar do bebê e aprender a conhecê-lo. Então é preciso seguir algumas dicas importantes:

  • Se alimente bem
  • Beba bastante líquido
  • Encontre tempo para descansar e cuidar de seus curativos.

#7. Deixe seu bebê pertinho de você

Muitos estudos comprovam sobre a extero-gestação e o que um bebê precisa nos primeiros 60 dias de vida.

O recém-nascido anseia por um “útero externo”, uma aproximação do mundo aconchegante e seguro que ele tinha dentro de sua mãe. Eles querem estar perto de um corpo quente e ouvir o som de um coração batendo.

Também gostam muito de ficar enrolados em um cueiro ou Swaddle como se fosse um charutinho.

Lembre-se dos cinco sentidos ao interagir com seu novo bebê:

  • Contato pele com pele – Os bebê sempre respondem ao toque da mãe. Se for possível solicite a equipe de parto que seu bebê venha para seu colo assim que nascer.
  • Fale com o bebê – Ele escutou sua voz durante toda a gestação. Esse som faz o bebê se sentir seguro.
  • Visão – Dizem que os bebês não enxergam muito bem ao nascer, mas a visão dels na distância entre o peito e o rosto da mãe são perfeitas para ele.
  • Paladar – Um bebê sabe reconhecer o gosto do leite da própria mãe
  • Olfato – O cheiro da mãe é algo muito reconhecido pelo bebê e o faz sentir calmo e seguro.

#8. Deixe a ligação acontecer naturalmente

Não há um jeito certo de se relacionar com seu bebê. 

As vezes sentimos uma certa pressão para estabelecer uma conexão profunda e imediata com o recém-nascido, mas isso nem sempre acontece.

Alguns pais se apaixonam no momento em que o bebê é colocado em seus braços; para outros, é o cuidado cotidiano do bebê que constrói um relacionamento forte. 

E de um jeito ou de outro é bom e saudável... não tem nada de errado nisso.

Tente responder ao choro do bebê o mais rápido possível.

Pegue seu bebê e tente acalmá-lo e ficará surpresa com a rapidez com que aprenderá as dicas não-verbais de seu filho e poderá determinar suas necessidades: seja para ser alimentado, acariciado ou estimulado. Isso te ajudará a construir um relacionamento forte com essa criança.

#9. O papai também entra na dança 

Às vezes, os parceiros podem se sentir excluídos quando um novo bebê chega, especialmente porque a amamentação é de domínio exclusivo da mãe e do bebê. 

Mas existem muitas e importantes maneiras pelas quais os pais (ou outros parceiros) podem estabelecer seu próprio relacionamento com o novo bebê. A melhor dica nesse caso é que eles se envolvam rápido.

Os bebês aprendem os hábitos rapidamente e se o pai não os acalma desde cedo, muito em breve, apenas o toque da mamãe servirá.

Seu parceiro pode ter uma maneira diferente de fazer as coisas, e você será tentada a interferir, mas "apenas tente fechar os olhos" e tenha certeza que ele vai fazer muito bem.

#10. Sentindo-se triste?

Cerca de 80% das novas mamães experimentam um período de choro e tristeza durante a primeira semana pós-parto, muitas vezes chamada de “baby blues”, que passa rapidamente. Isso tende a acontecer cerca de três a quatro dias após o nascimento do bebê e coincide com uma grande queda nos níveis de progesterona em seu corpo (muito maior do que a observada ao redor da síndrome pré-menstrual para dar uma idéia da mudança hormonal que está ocorrendo).

Você também estará cansada e ainda não recuperada do nascimento, por isso seja gentil consigo mesma neste momento.  Esses sentimentos são muito comuns nas primeiras semanas com seu bebê. 

Saiba que 1 em cada 10 mulheres desenvolvem a condição mais grave de depressão pós-parto. Se sentimentos de infelicidade, exaustão, irritabilidade ou ansiedade persistirem, você deve procurar ajuda. 

 

Agora vamos falar sobre os primeiros cuidados com o bebê ao chegar em casa:

• Deixe já providenciado para a chegada em casa alguns materiais que serão muito úteis. Entre eles: algodão, cotonetes, sabonete neutro, tesoura de unhas, escova de cabelo, álcool (70%) e creme para assaduras.

• É comum que os bebês solucem e espirrem muito. Isso é normal e não requer maiores cuidados.

• Uma congestão ou ronco nasal discreto também são comuns após o nascimento e podem persistir por algumas semanas. Geralmente não requerem nenhum cuidado especial. - Coloco esse item, pois eu e meu marido ficamos desesperados com a respiração ruidosa do nosso primeiro filho. Eu passava as noites acordada com muito medo que ele engasgasse. Quando fomos a primeira consulta com o pedriatra descobrimos que esses barulhos e roncos são super normais e fazem parte da adaptação do recém nascido com o mundo.

  • A Higiene do Bebê

Fraldas: A área coberta pelas fraldas deve ser limpa com água morna. No caso das meninas, tenha um cuidado especial e limpe a área genital sempre da vulva em direção à região anal.
Há uma grande variedade de marcas de fraldas descartáveis no mercado. Escolha a que melhor se adapta ao seu bebê.

O banho: O banho deve ser dado diariamente. Para o maior conforto do bebê e uma higiene completa, seguem algumas recomendações:

• Em dias frios, escolha a hora mais quente do dia
• Em dias quentes o horário é livre e você pode dar mais de um banho
• O banho deve ser um momento calmo e relaxante. Por isso, prepare com antecedência o material que vai ser usado
• Os primeiros banhos devem ser rápidos
• Não é necessário que a água seja fervida
• Procure deixar a temperatura da água semelhante à do corpo do bebê
• Encha apenas o fundo da banheira
• Antes de colocar o bebê na água, passe um pouco dela no rosto e na cabeça dele
• Ao lavar as costas, com o bebê de bruços, cuidado para que o rosto não toque a água
• Dê preferência ao sabonete neutro
• Comece pela cabeça e face e depois desça em direção aos pés
• Lave o pescoço, peito, braços, abdômen e pernas, certificando-se de lavar as dobras do pescoço e as axilas
• Você pode notar uma substância esbranquiçada nas dobras. É uma cobertura protetora que envolvia o bebê antes do nascimento
• Certifique-se de lavar a área genital por último
• Enxágüe com água limpa e, a seguir, seque bem

Detalhes adicionais do banho

  • Ouvidos – limpe apenas a parte externa com uma bola de algodão embebida em água, sem penetrar no canal auditivo. Seque bem atrás da orelha.
  • Olhos – limpe cada pálpebra com uma bola de algodão embebida em água. Limpe do canto externo para o interno.
  • Face – use apenas água.
  • Cabelos – você pode utilizar uma escova macia para estimular o couro cabeludo.
  • Mãos e pés – lave e seque bem entre os dedos.
  • Região genital – algumas meninas podem ter uma pequena quantidade de sangramento ou secreção vaginal. Eles são causados por hormônios transmitidos pela mãe e não são motivo de preocupação.
  • Atenção: não use colônias, talcos ou cremes sem a indicação do pediatra.

 

O curativo do umbigo: O curativo do umbigo deve ser feito 3 vezes ao dia, utilizando álcool 70%. Certifique-se de elevar o coto suavemente, de modo que o álcool atinja a área em que o cordão se insere na base. Se houver secreção ou sangramento, faça o curativo sempre que trocar a fralda. Aos poucos, o coto ficará mais endurecido, seco e escuro. A maior parte cai até a segunda semana de vida e um pequeno sangramento é normal. É importante que esta área esteja sempre seca e deve-se evitar o atrito com as roupas. Durante o curativo, o bebê pode reclamar da temperatura fria do álcool.

 

Não coloque roupas em excesso, nem apertadas demais. As mãos e os pés do bebê são sempre mais frios que o resto do corpo, por isso, não servem como guias para a escolha da quantidade de roupas. Dê preferência a roupas de fibras naturais, como algodão, cambraia, linho, e que tenham aberturas laterais, nas costas ou na frente, evitando as que têm de ser colocadas pela cabeça do bebê. Lave separadamente as roupinhas, fraldas, babadores, roupas de berço e toalhas com sabão neutro (de coco). Não é aconselhável o uso de qualquer tipo de amaciante. As roupas devem ser passadas com ferro quente e guardadas em lugar limpo e fechado.

  • O quarto do bebê: 

A limpeza do quarto onde o bebê dorme e seus objetos é muito importante e requer cuidados especiais. Cortinas, carpetes e grande quantidade de bichinhos de pelúcia devem ser evitados. Acumulam pó e podem causar alergia. Abra diariamente as janelas para que o ambiente possa ser ventilado e receba iluminação natural. Quanto ao berço do bebê, é recomendável que o colchão seja revestido com material plástico e limpo freqüentemente. Nos primeiros meses é melhor não usar travesseiros. Eles podem ser substituídos por uma fralda presa nas laterais do berço, na altura da cabeça do bebê. Evite colocar o berço embaixo de janelas. Se possível, deixe todo o material necessário para a higiene do bebê em um só lugar (a cômoda, por exemplo). É bem mais prático.

  • O Choro do Bebê: 

O choro é uma forma de comunicação e nem sempre significa um sofrimento. Se o bebê chorar ao acordar, tendo já passado algum tempo da última mamada, a primeira possibilidade é que seja por fome. Em dias mais frios, se o bebê recusar o peito, tente agasalhá-lo um pouco mais ou, ao contrário, em dias mais quentes, vista nele uma roupa mais leve. Ele pode também estar incomodado pela necessidade de arrotar ou por uma fralda suja.

Cólicas: Excluindo fome, frio ou calor, as cólicas podem ser a causa do incômodo do bebê. Elas aparecem em determinadas horas do dia, especialmente a partir do final da tarde. A sua ocorrência pode estar relacionada à ansiedade e insegurança dos pais, a uma rotina confusa ou a um ambiente agitado. Medidas simples, como colocar a criança de bruços e aquecer sua barriga através de uma massagem suave, podem ser suficientes para resolver o problema. As cólicas podem piorar se você oferecer o peito, embora o bebê também possa procurá-lo em momentos de dor.Use medicamentos somente por recomendação do pediatra.

As fezes do bebê: As primeiras fezes do recém-nascido são chamadas de mecônio. São pastosas, consistentes, de coloração verde-musgo e inodoras. Com o tempo, as evacuações serão mais freqüentes, mais líquidas, mais claras e eliminadas juntamente com gases. E sempre sem cheiro, o que as diferencia de uma diarréia infecciosa.

Se já estiver pensando no batizado do bebê não deixe de conferir nossas roupas de batizado para meninos e meninas.

Espero que essas dicas possam te ajudar nesse momento tão especial e intenso.

 

marilia-tannuri-verniSou Marília Tannuri Verni.

Mãe de 2 meninos,

publicitária, idealizadora do portal Grávida em Campinas

e proprietária da loja Petit Papillon Bebê & Criança.

Uma apaixonada pelo universo infantil e por todas as chances que a maternidade nos proporciona.

Categoria: Pós Parto

Comentários